Todos os sabores na sua xícara

  1. Torrefação

    O Starbucks Roast® é mais do que uma cor – é uma filosofia que busca ajudar cada grão a alcançar seu potencial máximo.

    Nós começamos a torrar café em 1971, e o modo como operávamos produziu muitos fãs da Starbucks naquela época inicial. Nosso café se destacava não só por ser mais escuro, mas também porque tinha mais sabor.

    Ao ser torrado, o café perde umidade e peso; o resultado é uma quantidade menor para vender. Meio quilo de café perde entre 10 e 14% do peso quando é processado por uma empresa de torrefação. Nosso café é torrado por um tempinho a mais, para extrair mais do sabor. Fazendo isso, nós perdemos entre 18 e 25% do peso – mas a diferença no sabor vale a pena.

    A transformação começa quando os grãos de café verde são aquecidos em um grande tambor giratório. Após 5 a 7 minutos de calor intenso, os grãos ficam com uma cor amarela e um cheiro parecido com o de pipoca. Aí ocorre o “primeiro estalido” – os grãos dobram de tamanho, crepitando ao se expandirem. Agora eles têm uma cor marrom claro. Se você parasse o processo aqui para provar uma amostra do café, sentiria um gosto amargo e unidimensional. Aqueles maravilhosos sabores mais complexos ainda não se desenvolveram.

    Após 10 minutos de torrefação, os grãos ficam com uma cor marrom uniforme e começam a “suar” uma espécie de óleo. Entre 11 a 15 minutos (varia para cada café), os grãos começam a desenvolver todo o seu potencial em sabor. O “segundo estalido” indica que o momento está chegando. À medida que os grãos são lançados na bandeja de resfriamento, o cheiro de café recém-torrado enche o ar, juntamente com o som de aplauso criado pelo barulho final do “segundo estalido”.

  2. Combinações

    Uma das coisas de que mais gostamos no nosso trabalho é levar até você cafés fantásticos provenientes do mundo todo.

    Alguns deles nós apresentamos como cafés de origem única que colocam em evidência sabores exclusivos do lugar de onde vieram – daqui a pouco falaremos mais sobre isso. Os demais nós usamos para criar blends incríveis, e é disso que vamos tratar aqui.

    Na Starbucks, podemos combinar um café para destacar uma região de cultivo específica. O House Blend, por exemplo, reúne três ótimos cafés latino-americanos em uma só mistura que exemplifica as melhores qualidades dessa região: sabores vigorosos, puros e equilibrados. Já o Gazebo Blend® realça os cafés africanos – radiantes, cítricos e ótimos gelados.

    Como alternativa, podemos combinar grãos de regiões de cultivo separadas para produzir interações curiosas de aromas e paladares. Blends como Caffè Verona®, Gold Coast Blend® e Blend de Natal da Starbucks® oferecem sabores complexos que, sozinhos, não podem ser encontrados nos cafés de origem única.

  3. Origem

    É preciso ser um grão especial para se tornar um café Starbucks®. Nós provamos mais de 150 mil copos por ano à procura dos melhores cafés Arábica. No fim, apenas cerca de 3% dos grãos mundiais conseguem se transformar em um pacote do nosso café.

    Os compradores de café da Starbucks passam cerca de 18 semanas por ano visitando produtores e fornecedores. Essas relações são essenciais para nosso sucesso no futuro: elas solidificam nosso papel de campeões da qualidade e do progresso em todos os níveis do negócio de café. É graças a essas boas relações que a Starbucks fica com a primeira escolha de algumas das melhores safras de café do mundo. Em vários casos, nossa associação com fazendas e fornecedores já dura mais de 20 anos.

    Tais relações baseiam-se em respeito mútuo. Em nossa busca pelo melhor café do mundo, a Starbucks trabalha com os fazendeiros para garantir a estabilidade a longo prazo do mercado de café Arábica. Para que a Starbucks tenha êxito, o mesmo deve acontecer com os fazendeiros. Conheça o Starbucks™ Shared Planet™ para saber mais sobre modo como conduzimos nossos negócios.

  4. Cultivo

    Enquanto tomamos café na sala de degustação, nós procuramos a combinação perfeita de clima, solo, elevação e práticas agrícolas que, reunidas, produzem um excelente café.

    Ao provar os cafés, a pergunta que fazemos é: quais cafés de um determinado local representam melhor a perfeita interseção entre clima e horticultura qualificada? Nós queremos os inconfundíveis sabores regionais, aquilo que um produtor de vinho francês chamaria de goût de terroir, o “gosto do lugar”.

    Os cafés de cada uma das três principais regiões de cultivo do planeta têm características distintas:

    • Os cafés da América Latina tendem a ser puros, familiares e amistosos, com sabores reminiscentes de nozes ou cacau.
    • Os cafés da África/Arábia são extraordinários e sedutores, com aromas florais e sabores de frutas vermelhas e cítricos.
    • Os cafés da Ásia/Pacífico tendem a ser ousados e confiantes, encorpados, com sabores terrosos e herbáceos.

    Cada café de origem única que oferecemos exemplifica as melhores qualidades dos sabores da respectiva região. Convidamos você a experimentar um copo.

Um copo de café é o final de uma longa jornada – da terra para o fazendeiro, daí para a torrefadora e finalmente para suas mãos à espera. Cada etapa é importante para definir como será o gosto desse café. Acompanhe-nos nesse trajeto para ver como a Starbucks faz de tudo para que um copo de café seja a maior delícia.